21 de abr de 2017

EX-PRESIDENTE DA OAS AFIRMA QUE 'BRAHMA ' É O CODINOME DE LULA

EMPREITEIRO DA OAS NÃO DEIXA DÚVIDAS: TRÍPLEX É MESMO DE LULA


O empreiteiro José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, confirmou ao juiz federal Sérgio Moro que o codinome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva era "Brahma". Segundo, o executivo, a alcunha era usada na comunicação entre os executivos para "não expor as figuras públicas".
Léo Pinheiro também confirmou que o apartamento tríplex na praia do Guarujá, em São Paulo, pertence mesmo ao ex-presidente, relatado inclusive que acompanhou visitas ao imóvel de Lula e de sua mulher, acompanhada por um dos filhos, até para inspecionar a reforma que eles havia encomendado. O ex-presidente da OAB disse haver tratadocom Lula sobreba reforma.


Durante o interrogatório a que foi submetido nesta quinta-feira, 20, o empreiteiro foi questionado por Moro sobre uma mensagem que apontava a expressão "Brahma". "Essa expressão se referia ao ex-presidente Lula, por causa de uma propaganda que existia que a Brahma é a número 1", afirmou.
Moro quis saber por que não usavam o nome de Lula. "Para não expor as figuras públicas e nós tínhamos como prática" relatou.


A investigação da Lava Jato interceptou mensagens trocadas pelo executivo da OAS. Numa das conversas entre Léo Pinheiro e um executivo da empreiteira eles dizem que "Brahma poderia fazer uma palestra no dia 26/11" sobre o tema Brasil/Chile. Na mesma data, a agenda de Lula marcava um evento em Santiago, no Chile.


Léo Pinheiro foi interrogado em ação penal sobre supostas propinas a Lula. A denúncia do Ministério Público Federal, no Paraná, sustenta que o petista recebeu R$ 3,7 milhões em benefício próprio - de um valor de R$ 87 milhões de corrupção - da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012.


As acusações contra Lula são relativas ao recebimento de vantagens ilícitas da empreiteira OAS por meio de um triplex no Guarujá, no litoral de São Paulo, e ao armazenamento de bens do acervo presidencial, de 2011 a 2016.
(Acompanhe as publicações do  SENADOR SÁ ONLINE no Facebook. Curta  AQUI )
Postar um comentário